24.3.15

O marketeiro sempre ganha

Em uma negociação de contrato que se estendia madrugada adentro, advogado do cliente de um lado, advogado da minha empresa do outro e nós vendedores completando a sala.
Puxa daqui, empurra dali, cliente pede uma alteração, empresa concede com ressalvas, negocia, veta e assim ia.
Em dado momento, em uma cláusula não muito fácil, após passar por algumas alterações acordadas entre as partes, um de nós vendedores brinca, para quebrar o gelo, 'qualquer coisa a gente chama o advogado que aprovou'.
Então o advogado do cliente vira e em tom descontraído diz 'advogado sempre ganha'.
Precisa negociar as cláusulas? O advogado está lá.
Deu problemas? Chama o advogado.
Caiu a casa? Advogado.

O advogado sempre ganha.

Nessas discussões políticas em que nosso país está cada vez mais enfiado, com um que de novidade, talvez porque sejamos uma democracia nova e tudo faz parte de um processo de amadurecimento, uma coisa me chamou a atenção e me remeteu ao fatídico dia da negociação.

Entretanto aqui vou deixar de lado a figura do advogado para chamar outro personagem, talvez até mais vital, o marketeiro.

Nesse jogo político e nessas discussões em que o país entrou e se dividiu, o marketeiro sempre ganha.

Precisa ganhar as eleições? Chama o marketeiro.
Mas o candidato tem sérios problemas de conduta, de postura, de empatia… Chama o marketeiro.
Ganhou-se a eleição. Um viva ao marketeiro. Mas o trabalho dele, como o do advogado do primeiro parágrafo, não acaba aqui. Para a felicidade dele.

Escândalos atrás de novos escândalos de corrupção. E agora? Chama o marketeiro.
'A corrupção é cultural no Brasil' - 'A corrupção é sistêmica' - 'A corrupção já estava aqui antes, acontece que só neste governo está sendo investigada' - 'o candidato derrotado também tem escândalos em seu nome' -  'etc,etc,etc'.
Um viva ao marketeiro, que consegue entregar argumentos ao lado que está apanhando. Como um boxeador que está apanhando feio que ganha um fôlego extra para sair das cordas.

Marketeiro prepara uma nova estratégia, bola um belo discurso, presidente vai à rede nacional e… plac plac plac…bateção de panelas por parte da sociedade indignada com um discurso de plástico.
Chama o marketeiro!!!
'A elite branca tem ódio de pobres que neste governo está ganhando força...'

Parte da sociedade se organiza em todo o Brasil para sair às ruas  em protesto ao governo e à presidente. Em São Paulo, em dados oficiais da PM, aproximadamente 1 milhão de pessoas na rua.
Chama o marketeiro!!!
'Datafolha diz que foram só (só?!) 200 mil manifestantes'.

E a discussão que poderia ser rica, fica travada em um argumento que chega a ser bobo. Inútil. Não serve a ninguém de fato.
Mas o marketeiro consegue mais um fôlego para seu cliente.

Assim estamos caminhando nesta jornada de aprendizado político e social. A cada nova denúncia, vem o marketeiro ditar quais pontos iremos nos apegar e passar horas brigando. 

Quando Marina criticava a polarização em que o país estava, bem como a política ser guiada pelo marketing, poucos a ouviam ou a levavam a sério. Talvez porque o marketeiro dela não seja lá dos melhores.
Fato é que a polarização aumenta e não à toa. Fruto de um trabalho engenhoso do marketing do governo, que jogando um lado contra o outro, cria um grande Fla-Flu, distraindo a todos e ganhando fôlego.

Dureza que esse jogo terminará num 0x0 doído de assistir.
__________
Ev Melo
às vezes paro para pensar, às vezes penso sem parar e muitas vezes paro sem pensar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário