5.11.14

pode melhorar

- pode melhorar, calma aí... 

os anos eram os 80. tempos de antenas mal posicionadas e bom-bril cumprindo a promessa de mil e uma utilidades.
controle remoto se chamava filho caçula. no caso eu. mas isso não será explorado neste texto.

poucos eram os canais, cerca de 5 ou 6, e assim mesmo não eram todos que pegavam.
talvez por isso, pelas opções serem poucas, emprega tempo e esmero no ajuste.

primeiro girava o sintonizador de canal, tec-tec-tec, até encontrar o canal, que por motivo acima mencionado da não existência do controle remoto, seria assistido por um longo tempo.

voltava de ré e sentava no sofá, que afundava e devolvia o corpo pra cima, fazendo ranger a imitação de couro, marrom.
pouco durava esse momento de conforto. a imagem logo distorcia e lá ia ele. puxa a antena, se afasta um pouco, retorna e deita uma perna da antena pra lá, outra pra cá, se afastava um pouco, dessa vez esperava uns segundos e pronto, satisfeito retornava ao sofá.

eu disse pronto? não nada disso, a imagem teimava em se entediar e querer brincar de carrossel. pegava impulso e girava na tela.

ele bufava e retornava ao árduo ofício de ajustar a imagem.

- mas dá pra assistir assim, deixa como está. - dizíamos todos.
- não, pode melhorar.

e partia em direção ao ajuste fino, aquela roda que circulava o sintonizador de canais, lembra? 
girava pra esquerda, depois pra direita, se afastava e voltava, naquela dança sincronizada de todos os dias à noite.

enfim, a perfeição. devolve seu corpo ao descanso do sofá e se gaba de ter conseguido, mais uma vez. e assim, todos podiam assistir aos cinco últimos minutos finais do programa.
__________
- Ev Melo
Idealizador e curador deste espaço. É uma pessoa rara, como outra qualquer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário