19.9.14

não somos apenas um número, somos uma porção deles

'nós somos apenas um número.' você já deve ter ouvido isso algumas vezes, é comum dizer e ouvir isso quando se está puto com o mundo corporativo.
mas não, não somos um número. somos um punhado deles, uma longa sequência de números organizados de maneira única. cada um dos 7 bilhões de viventes da terra tem sua própria sequência de números.
e por isso, o pessimismo no comentário "somos apenas um número" não vale de nada. o modo como o mundo corporativo se comporta são outros 500.

se você não é apenas um número, é uma tendência. mas não cabe aqui o 'apenas' . você é uma estatística, um integrante de um tal de cálculo amostral.

já se perguntou como é que funciona o ibope, datafolha e outros índices de intenção de votos, por exemplo? é tão simples (quanto complexo) quanto pegar a quantidade de habitantes de determinada região e através de cálculos, determinar qual o erro amostral (variação para + ou para - ) e com isso terá a quantidade necessária de entrevistas para conhecer a tendência, a probabilidade da verdade. e é bastante confiável.

isso quer dizer uma coisa, você nunca está sozinho. você representa um grupo de pessoas com as mesmas características, idéias e com as mesmas intenções. 
porque será que os jornais e outras mídias respeitam tanto a opinião individual de um leitor? porque não é individual. aquele leitor representa mais 10, 50, 100 pessoas com a mesma opinião.

portanto fale! você está sendo ouvido. se ainda não estiver, fale mais alto, junte-se com os que pensam parecido e falem. você representa um grupo e um grupo tem sempre mais força. mande emails para jornais, ligue para reclamar. não se prenda apenas ao 'reclame aqui', fale com o autor diretamente.

e no campo das inovações? ah porque eu não pensei nisso antes. ou ainda, quando se tem uma baita idéia super inovadora que depois de uma breve pesquisa no google vemos que já a tiveram. 
cálculo amostral, estatística, probabilidades. se você está pensando em algo agora, outros devem estar. ganha quem tem mais audácia e ligeireza de mostrar primeiro. e um pouco de sorte vai bem.

agora você pode estar pensando, puxa se é assim, não vou mais pensar em novas idéias. bingo, um grande grupo de pessoas está fazendo isso junto com você. você pode ser teimoso (eu sou) e insistir em continuar tentando mesmo sabendo que pelas estatísticas, cálculo amostral e probabilidade outras pessoas estão tendo uma idéias bastante parecida com a sua. e quando isso acontecer? bom, insista numa nova idéia, se a idéia não te traz o retorno esperado, ao menos te mantém vivo.

quem não tenta sobrevive, não vive.

eu faço parte do grupo que prefere viver. e você?
__________
- Ev Melo
Idealizador e curador deste espaço. É uma pessoa rara, como outra qualquer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário