7.8.14

José e o Ogro



Ele era um ogro, vivia no alto de uma catedral e tinha morcegos e besouros como companhia, que caminhavam ao redor dele lhe dando devida atenção, atenção que um mictório público merece de qualquer um.

Em toda manhã ele acordava, via o Sol, admirava a profundidade da sua beleza e o poder da sua luz, admirava o Sol. E a cada momento que fazia isto se tornava não mais ogro, mas José.
José era um homem normal, comum como seu nome e igual como um mictório de shopping. Caminhava pelas ruas e era desapercebido por todos. Por surgir apenas ao sentir o nascer do Sol, José era uma criatura muito sensível a tudo o que era bom e belo. Mas o fato de ser José fazia com que ninguém o sentisse, ninguém admirasse seus sentimentos.

Pela manhã, José descia da torre da catedral admirando os morcegos que o desprezavam e mofavam na paisagem. Caminhava pela praça buscando a quem o quisesse conhecer e, com ele, admirar um nascer do Sol. Olhava cada pedestre, cachorro, mendigo que podia avistar e os admirava, querendo apenas simples e humilde reciprocidade. Sempre que passava o dia todo sem encontrar ninguém para suprir sua carência voltava à catedral e lá, com morcegos e besouros, se tornava ogro. Mas não passou todos os seus dias sem encontrar ninguém, poucos dias José encontrava admiradores mas nenhum deles o admirou o suficiente para suprir seu desejo. Um idoso, um cachorro, uma criança, esses são alguns dos que admiraram pouco José, mas a noite ele ainda era ogro.

Até que um dia algo diferente aconteceu. Acordou José, sentindo-se ogro. Caminhou José, sentindo-se ogro. Atraiu olhares, José, sentindo-se ogro, assim o dia todo, até foi admirado, José, sentindo-se ogro. Até que a noite chegou e antes de chegar ao topo da torre, não era mais José, mas ogro. Durmiu e, ogro, ignorou besouros e morcegos. No outro dia acordou, ogro, e se lançou da torre da catedral, morreu José.

__________
 Nuno Junior
Tentou de tudo. Tentou escrever, tentou fotografar, tentou tocar, tentou desenhar e tentou pintar mas  nunca conseguiu. Até hoje ele não sabe se os seus padrões são muito altos ou seu talento é muito baixo,  mas o Nuno não desistiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário